Inovando para rentabilizar mais

Publicado em: 28/10/2019

Por Ivan Ramos diretor executivo da Fecoagro

O sistema cooperativo catarinense e brasileiro tem sido o desbravador de novas iniciativas, que oportunizem mais rentabilidade ao homem do campo, e em defesa da sustentabilidade. Em tempos de críticas sobre o avanço na tecnologia em insumos agrícolas, sempre é bom lembrar as iniciativas tomadas pelas cooperativas que visam não apenas preservar o meio ambiente e a saúde da população, mas também aumentar a renda no meio rural.

Para ficarmos apenas no setor que colocamos a mão na massa, vale destacar as providências adotadas pelo grupo Fecoagro em possibilitar que se use novas tecnologias que se adotadas adequadamente, preservam o meio ambiente e aumentam a produtividade.

O criticado anúncio governamental de reduzir o uso de defensivos agrícolas através do aumento de impostos, com o argumento de preservar a saúde pública, embora tenha sido questionado nas mais diversas esferas, tem estimulado as entidades ligadas ao homem do campo a fazer campanhas de esclarecimento sobre a realidade dos fatos.

Em que pese um dos principais interessados no assunto, ou seja, o setor de fabricação de defensivos até agora não tenha apoiado essa iniciativa, a Fecoagro está mantendo em seus canais de comunicação mensagens que esclarecem a verdade sobre os defensivos agrícolas e a repercussão tem sido altamente positiva, pelo menos no meio em que vivemos, embora saibamos que quem precisa mesmo ser sensibilizado são as autoridades contrárias e a população urbana.

No que diz respeito a fertilizantes, a Fecoagro também tem se esforçado em criar alternativas de redução do consumo em quantidade e aumentem a produtividade.  Começamos com a construção da misturadora própria instalada em São Francisco do Sul, que além de regular os preços dos adubos no Estado, conseguiu mostrar a muitos fornecedores que temos que produzir insumo com qualidade e não apenas preços e que repercutem no final da colheita.

Na sequência conveniou com uma empresa espanhola para introduzir os fertilizantes granulados, NPK no grão, que era pouco utilizado em SC, e que consegue ser mais eficiente, reduz sua aplicação por ter melhor aproveitamento das plantas e, consequentemente, aumenta a produtividade.

Agora a Fecoagro está com outra novidade: está lançando o fertilizante aditivado com ALGEN, um produto natural com algas marinhas que reduz a necessidade de produto químico, aumentando a eficiência nas plantas e ampliando a produtividade nas lavouras. É mais uma inovação tecnológica, já sintonizada com a redução tanto quanto possível de produtos químicos, que para quem utilizou já sentiu a diferença no bolso, e para quem é questionador de tudo, possa avaliar o quanto contribui para redução de uso de químicos.

Ninguém vai conseguir plantar e colher em áreas extensivas sem adubo químico, como também sem outros defensivos, mas a iniciativa de reduzir o seu uso, é importante e deve ser valorizada, pelas autoridades e pelos agricultores. O resultado imediato é financeiro, e o resultado ambiental pode ser de longo prazo, mas é o início. Pense nisso.

Fonte: Fecoagro