Novembro azul-01 Resenha do Cooperativismo e Agronegócio-01-01-01-01 banner-_nobre-02-01

Importação de cebola preocupa pequenos produtores rurais

Publicado em: 14/11/2017

O secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller, assegurou que vai encaminhar, por meio de uma nota técnica, a demanda da Frente Parlamentar da Agropecuária do Congresso Nacional e das entidades do setor ao ministro da Agricultura, Blairo Maggi, para o controle das importações de cebola para o Brasil .“Nós entendemos ser um pleito perfeitamente factível e faremos o possível para incluir tributos na hora de importar a cebola para o Brasil, bem como outros produtos, no intuito de resguardar o setor produtivo brasileiro”, ressaltou o secretário.

Os parlamentares dos estados que detém a maior produção de cebola no País, como os deputados federais Luis Carlos Heinze (RS), Valdir Colatto (SC), Sérgio Souza (PR), Peninha (SC) e Celso Maldaner (SC), sinalizaram que já estão a tomar medidas cabíveis para contornar mais prejuízos ao produtor rural brasileiro.

O preço da cebola importada, principalmente vinda da Holanda, está muito mais baixo do que a cebola nacional, o que ocasiona uma concorrência desleal. Em reunião com membros da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), o presidente da Associação Nacional dos Produtores de Cebola (Anace), Rafael Jorge Corsino, trouxe aos deputados e entidades presentes a preocupação do setor produtivo quanto à importação da cebola para o Brasil. O presidente da Associação Nacional dos Produtores de Cebola (Anace) reivindicou que o produto importado seja incluído na Lista de Exceção à Tarifa Externa Comum (Letec) para que o custo de produção se iguale com o do Brasil. “A Holanda, responsável por 15% do mercado mundial em produção de cebola, é um país que não paga imposto e que o governo subsidia a agricultura.

Fonte: Gabinete Dep.Valdir Colatto